ASSOCIAÇÃO

Projetos Cofinanciados pela UE
Nov 15

Internacionalização do Artesanato Regional

 

logos para workshop

Já no próximo dia 22 de Novembro de 2018 decorrerá o Workshop, com a temática – Internacionalização do Artesanato Regional.

Decorrerá na UBI – Universidade da Beira interior, com início às 14h30, até as 17h00.

A sessão de boas vindas, será presidida pela Profª Helena Alves- UBI.

Iremos abordar a temática atual na primeira pessoa do empresário Sr. Miguel Gigante, sobre a sua experiência na internacionalização dos produtos no Mercado Internacional.

Este decorre no âmbito do Projeto Tradição Competitiva promovido pela AASE

ubi
Enviar por E-mail Versão para impressão
Nov 15

Workshop Internacionalização do Artesanato Regional

 

logos para workshop

 

No próximo dia 21 de Novembro de 2018, irá decorrer no âmbito do Projeto Tradição Competitiva promovido pela AASE, o Workshop, com a temática – Internacionalização do Artesanato Regional.

Decorrerá na Escola Profissional da Serra da Estrela, em Seia, com início às 09h30, que se estenderá até as 17h00, com pausa para o período de almoço.

Iremos contar com ilustres oradores, abordando temáticas atuais na primeira pessoa de cada orador, acerca da experiência na internacionalização dos seus produtos no Mercado Internacional.

1 workshop manha
Enviar por E-mail Versão para impressão
Oct 12

Workshop - Economia Digital – Exemplos de Sucesso

No âmbito do Projeto Tradição Competitiva promovido pela AASE, irá decorrer no próximo dia 30 de Outubro 2018 o Workshop, com a temática – Economia Digital – Exemplos de Sucesso.
Decorrerá na Escola Superior de Turismo e Hotelaria de Seia, em Seia, com início às 14h00.
Iremos contar com ilustres presenças, abordando temáticas actuais sobre a economia local no artesanato.

A Participação é Gratuita.

 

Enviar por E-mail Versão para impressão
Jan 08

Artesanato by Tradition II

logos - artesanato by tradition ii

 

Designação do projeto: Artesanato by Tradition II

Projeto n.º 26.448 

Apoio no âmbito do sistema de incentivos

Custo total elegível: 849.470,58 €

Apoio financeiro da EU: 457.555,74 € 

Síntese do projeto:

O projeto Artesanato by Tradition II tem como principal objetivo promover e dinamizar o artesanato português no mercado internacional, particularmente para o mercado de Espanha, França, Itália e Luxemburgo. Assim, com este projeto, pretende-se apoiar 15 PME’s no seu processo de internacionalização, através do reforço da capacitação empresarial das PME’s para o processo de internacionalização e de ações de promoção da oferta nacional no mercado externo, contribuindo para o aumento da sua capacidade exportadora e melhoria do nível de competitividade.

Para a execução do presente projeto, estão previstas as seguintes atividades:

- Diagnóstico e definição da estratégia de posicionamento nos mercados-alvo

- Participação em feiras internacionais

- Reforço da competitividade das empresas no mercado global

- Ações de promoção e divulgação do projeto

- Assistência técnica

- Ações de divulgação e sensibilização

                

                     

Enviar por E-mail Versão para impressão
May 18

Projeto - Tradição Competitiva

 

Designação do projeto| Tradição Competitiva 

Código do projeto| POCI-02-0853-FEDER-017147 

Objetivo principal| Reforçar a competitividade das pequenas e médias empresas 

Data de início |01-05-2016 

Data de conclusão |30-04-2018 

Custo total elegível| 1.101.176,47 € 

Apoio financeiro da União Europeia|591.607,06 € 

Síntese do projeto: Objetivos e resultados esperados

O Projeto tem como principal objetivo reforçar as capacidades de organização e gestão das empresas portuguesas, através da implementação de sistemas de gestão e de um reforço nas competências de TIC e marketing digital, contribuindo para a melhoria das condições imateriais de competitividade e inovação. Assim, este projeto materializa-se num plano de intervenção estruturado e coeso e que visa apoiar 13 empresas.

Objetivos específicos:

- Dotar as empresas com ferramentas que lhes permita atingir melhores níveis de Inovação Organizacional e Gestão

- Capacitação das PME’s ao nível da Economia Digital e Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)

- Capacitar as empresas para a criação de marcas e design inovador que lhes permitam ser reconhecidas e valorizadas no mercado

- Partilha de conhecimentos, demonstração e disseminação de resultados do projeto

- Ações de acompanhamento, divulgação e avaliação do impacto do projeto

 

Enviar por E-mail Versão para impressão
Jan 05

Artesanto By Tradition 2015/2016

 

Designação do projeto: Artesanto By Tradition 2015/2016

Código do projeto: POCI-02-0752-FEDER-000105 

Objetivo principal : Internacionalização

Região de intervenção: Região Norte, Centro e Alentejo

Entidade beneficiária: Associação de Artesãos da Serra da Estrela

Data de aprovação 29-05-2015

Data de início 01-07-2015

Data de conclusão 31-12-2016

Custo total elegível: 628175,99 EUR

Apoio: FEDER - 346432,59 EUR

Objetivos, atividades e Resultados Esperados/Atingidos.

O projecto da AASE insere-se na tipologia Internacionalização pois visa essencialmente a promoção e a participação do artesanato português em territórios internacionais através da presença de empresas e da AASE em feiras a realizar em países europeus nomeadamente: Espanha, França, Itália, Holanda e Alemanha.

Economicamente estas acções são na sua justa medida uma mola real para as economias locais onde as produções se desenvolvem a partir de matérias-primas específicas, que com arte e engenho, são cotadas muito acima do simples valor material. Os produtos artesanais têm, por isso, uma componente de valor acrescentado superior a qualquer outro produto.

A participação numa feira no estrangeiro é um facto económico extremamente motivador para as empresas participantes, pois permite não só a venda de produtos em territórios diferentes do nacional e a consequente penetração nesses mercados, mas igualmente o conhecimento mais profundo dos consumidores desses países, das suas necessidades e motivações, permitindo a estas empresas a melhor adequação da sua actividade a novas realidades.

A sustentabilidade deste projecto é garantida pela forte participação dos artesãos que vêem nesta oportunidade a possibilidade de alcançar mercados alternativos podendo assim contornar a forte concorrência de produtos estrangeiros, que lhe tomaram muito do seu espaço em mercados de proximidade.

O apoio à criação de novos mercados aliada a uma forte capacidade de adaptação das produções artesanais fazem deste projecto um forte meio para a diversificação dos mercados e menor dependência das conjunturas e consumos nacionais, diminuindo assim os riscos de perda de rentabilidade e de mercado.

Este projecto, da iniciativa da Associação dos Artesãos da Serra da Estrela, será materializado num conjunto de acções de participação em Feiras Internacionais e pretende responder com eficácia às carências evidentes de empresas da área do Artesanato nomeadamente as relacionadas com os Mercados e com o Marketing.

Pretende igualmente fortalecer a inserção dos produtos artesanais nos diversos mercados internacionais, especialmente através do mercado turístico e do comércio à escala global, procurando ciar novas vias de comercialização de modo a integrar de forma definitiva a produção artesanal nas rotas dos intercâmbios comerciais.

Pretende-se ainda oferecer a oportunidade aos artesãos nacionais, que, dadas as especificidades das suas actividades, não possuem meios próprios para se deslocarem ao estrangeiro e aí colocarem o produto das suas actividades.

Este projecto tem ainda como objectivo fundamental a criação de um espírito de cooperação e de unidade (tendo como marca aglutinadora a marca Portugal) entre os artesãos de modo a criar condições de visibilidade comercial.

Atividades

Este projecto materializa-se pela participação activa em feiras internacionais onde a actividade artesanal e de base local constitui um aspecto central.

Desta forma a AASE pretende promover a participação das empresas nessas feiras assumindo uma função dinamizadora e coordenadora, chamando a si a responsabilidade de organizar, dinamizar e coordenar as actividades inerentes à participação nos certames por parte das empresas e artesãos que se candidatam.

Para que o projecto se materialize são necessárias diversas actividades, das quais destacamos:

- levantamento de necessidades das empresas em matéria de internacionalização e recolha de pré-inscrições

- elaboração de candidatura ao QREN

- apresentação e divulgação do projecto às empresas e associados

- levantamento de dados para aferir a elegibilidade das empresas

- selecção das empresas participantes no programa

- criação de base de dados de gestão do projecto

- contactos com as entidades organizadores das feiras para contratualização de espaços

- organização de viagens e estadias

- organização de transporte de mercadorias para exposição e venda nas feiras

- organização do posicionamento das empresas nas feiras e áreas a ocupar

- concepção de conteúdos e de materiais de comunicação para uso nas feiras

- organização de contactos em feira com entidades locais e com possíveis canais de distribuição para futuros negócios

- participação na :

Salon Internationale Agriculture-Paris-FR-2016

Foire- Lyon- Fr-2016

Feira de Nanterre- FR-2016

Foire de Paris- FR-2016

Mostra Mercato Internationazionale dell Artigianato Firenze - IT-2016

Fiera Campionaria Internationale di Padova-2016

Foire de Printemps Fruhjahrs Messe- Luxembourg-2016

Feira de Cenon-2016

Feira de Bordeaux-2016

Feira Arcu Atlantico de Gigon-2015

Feira das Mostras-2015

Feira de Salamanca-2016

Foire Internationale de Clermont-Ferrand-2015

Foire Europeen de Strasbourg-2016

Foire de Marsella-2016

Feira Internacional Zafra-2016

Feira de Automme Paris-2015

Feira Internationale et Gastronomique de Dijon- 2015

Feira de Milão 2015 e 2016

- Manutenção e actualização de Site do Projecto para divulgação, entrevistas, apresentação das empresas e da AASE, acontecimentos nas feiras, plataforma de negócios  no site, área reservada para gestão da AASE em relação ao projecto.

- criação de caderno da AASE - actualização

- avaliação do projecto e relatório final

- Seminário aberto de disseminação de resultados

EMPRESAS - 20

Início do projecto a Julho de 2015 e términus a 31 de Dezembro de 2016

O projecto faz-se pelo cruzamento das necessidades e estratégias individuais das empresas com a oferta de feiras internacionais existente, sendo que a AASE procede à escolha das feiras em função dos níveis de intenção de participação demonstrados pelas empresas e artesãos. Para que tal suceda, a AASE realiza encontros e entrevistas individuais com os interessados com a finalidade de aferir das suas verdadeiras necessidades, potencialidades e orientações estratégicas.

Estas acções são aquelas que melhor se adequam à tipologia das empresas a participar bem como à especificidade do sector, bem como à experiência e actuação estratégica da AASE.

Os mercados escolhidos são próximos e conhecidos de anteriores participações por parte da AASE e de algumas das empresas permitindo assim tirar partido do maior conhecimento dos mercados e dos públicos que iremos encontrar.

Resultados

Este projeto sofreu várias vicissitudes decorrentes não só do agravamento da crise económica e da inexistência recuperação como pelo facto de várias empresas inicialmente interessadas terem sido afectadas com processos de fiscalização da Autoridade Tributária o que as fez desinteressar-se dos projectos de internacionalização, aumentando significativamente o número de desistências.

Não foi possível assim a presença em feiras como:

Comexposium: A organização Comexposium que não autoriza como Cliente a AASE por um associado ter feito uma divida grande (depois de se inscrever não participou), já foi solicitada a intervenção do agente da AICEP Sr. Jorge Ruivosendo pois sendo excluídos como cliente não podemos participar nas feiras organizadas directamente por esta entidade.

Salon Agriculture[1-6]- por ser organizada pela Comexposium

Feira de Nanterre França [13-18]- stand oferecido e um carro frio que serviu lá de armazém, e o alojamento foi um dos familiares (Fumeiro de Seia)

Feira Paris[19 a 24]- organizada pela Comexposium

Mostra Firenze IT[25 a 30] Feira muito cara e pouco rentável para os nossos produtos: decaiu por completo o numero de interessados;

Fiera Campionaria de Padova IT[25 a 36]a área destinada a Portugal não era do agrado dos interessados pela afectação a outras origens que não a nossa;

Fiera de Printemps Frujahrs Messe Luxembourg [37-42] : A orientação da Feira vetou a presença de Portugal fora da zona dos alimentares, anulando assim a inscrição por desacordo da área atribuyida a Portugal ( cita num canto extremo/fora da visibilidade pretendida )

Feira de Cenon [43 a 48] - Stand oferecido pela Feira e localização de familiares

Feira de Bordeaux [49 a 54] - Ninguém quis ir para o Pavilhão 4 - resto do Mundo, enquanto os interessados pretendiam o stand da Gastronomia.

Feira das Mostras Espanha [61 a 66] Não foi organizada, o municipio não organizou a feira.

Feira de Salamanca[67 a 72]: pela proximidade os participantes não tiveram custos dado o stand ter sido oferecido e pela proximidade os participantes deslocaram-se diariamente;

Feira de Clermont-Ferrand [73 a 78]: Quando nos inscrevemos meio ano antes da feira já não havia lugar;

Feira de Marsella[ 85-90]:Não nos atribuíam um lugar na gastronomia, produtos característicos de um território e apenas nos permitiam criarmos um " Restaurante".

Feira de Zafra [91 a 96] Não houve interessados, tendo desistidos os inscritos relacionados com as cerâmicas dado que esta feira é só para as cerâmicas;

Feira de Automme França [97 a 102] Comexposium, a AASE organiza mas não pode ser assumida pela AASE diretamente pela questão anteriormente exposta.

Feira de Dijon [103 a 108]: Motivado pelo perfil da Feiras, tendo em conta o número de participantes, decidiram não realizar esta feira .

Custos com Apoio Técnico [120] não aceite numa perspectiva de poupança e redução de custos por parte das Empresas.Com impacto e redução de custos nas atividades relacionadas com a AASE no que diz respeito aos custos com Promoção e Divulgação, Publicidade, Custos de Participação e Disseminação de Resultados (o que neste caso a fatura veio fora do período de elegibilidade do projeto[ 115-116-117-118-119]).

Desta forma foram realizadas as seguintes Feiras:

Feira Gijon 25 de Julho a 2 de Agosto 2015

Participantes: Narrativalegre, Ponto de Gosto, Branquinho & Branquinho

L’Artigiano in Fiera 2015 de 5 a 13 de Dezembro 2015

Participantes: Saudade Lusa, Lda, Damar, Daniel Amarelo, Carola&Borralho, João Clara, Mimoso Olaria de Juncais; Lombo do Ferreiro; Jonatas Oliveira; Ana Catarina Lourenço; Renato Gonzaga Vieira Coelho; Teresa Silva Pereira; Artestórias, cooperativa de artes e oficios de Lousada; Vandel, Ceramicas de Coimbra, Lda; Godia, Lda

Participantes Empresas Não Apoiadas: Ozi; Guiomar; Maria Carvalho; Carla Dias; Nuno Campos

Foire Internationale de Lyon de 18 a 28 Março 2016

Participantes: Saudade Lusa; Fumeiro de Seia; José Maria Paiva.

Feira Lusitania Gastronomia e artesanato de Toulouse 10 a 12 de Junho 2016

Participantes: Gódia, Lda, Saber Intemporal; Ana Maria Brito Prod. Doces Licores, Lda; Fumeiro Artesanal de Seia.

Feira de Milão de 3 a 11 de Dezembro 2016 

Participantes: Ana Catarina Lourenço, Renato Gonzaga Vieira Coelho; Carola&Borralho; Saudade Lusa; Mimoso Olaria de Juncais; Jonatas Oliveira; Vandel, Ceramicas de Coimbra, Lda; Guiomar Rosa Henriques Ferreira; Bisaro - Salsicharia Tradicional.

Feira de Strasbourgo de 25 de Novembro a 24 de Dezembro 2016

Participantes: Godia, Lda; Saudade Lusa; Fumeiro Artesanal de Seia; Aromas do Valado Unipessoal, Lda;C arola & Borralho, Lda.

No que toca ao N.º de Ordem 127 Custos com Pessoal constatou-se a redução da imputação ao projeto tendo em conta a redução significativa na realização das Feiras por parte das empresas participantes.

Contudo no seu cômputo geral os objectivos foram alcançados estiveram presentes 21 empresas elegíveis, acrescendo 2 já após a sua participação em Feiras no ano de 2015, não continuaram com os requisitos das empresas (certificação Pme) não sendo possivel incluí-las no projeto (Ponto de Gosto e Narrativa Alegre). Ao longo do projeto foram efectuados várias ações de divulgação e promoção mesmo em outros países mas que não geraram custos por PORTUGAl , A AASE ser convidada.

Em conclusão como resultados apresentados o envolvimento de mais de 20 empresas no projeto, a participação em mais de 4 feiras, com custos associados temos 6 Feiras, realizadas em Espanha, França e Itália, com uma previsão de vendas no pós projeto a alcançar os 18%, associando a um grau de alavancagem do negócio superior a 25%, tendo em conta também as vendas indirectas, relacionadas com contactos efectuados com distribuidores.

A marca aglutinadora PORTUGAL foi defendida sendo catapultada pela AASE para outro nível preparatório de eficiência e qualidade trazendo aos nossos associados e à representação Portuguesa um maior nível de excelência.

Enviar por E-mail Versão para impressão

A Associação - abrir caminhos para o futuro

A Associação de Artesãos está à disposição dos seus associados no apoio às dúvidas e necessidades.

Mas vai mais além, segue um caminho paralelo de intervenção na construção do futuro, fazendo ouvir a sua voz junto das autoridades e instituiçãos governamentais e tornando-se num poder que faz a diferença na área do artesano.

Toda a actividade baseia-se na filosofia de que pode-se criar riqueza com o trabalho, tirando partido dos recursos locais, rentabilizando esse trabalho com a venda dos produtos não só em mercados locais mas também em mercados mais distantes.

Associação de Artesãos da Serra da Estrela e Região Centro (c) 2010                                             Ideias Soberbas